Corridas X Lesões

É bem aceito na comunidade científica e médica que o exercício é bom para a saúde. Correr para fins relacionados à qualidade de vida é um dos melhores exercícios para melhorar a saúde cardiovascular, musculoesquelética, respiratória e geral. Na verdade, correr é uma atividade física regular executada por milhões de pessoas em todo o mundo, mas tal atividade pode gerar lesões articulares e musculares. Uma explicação provável é a presença de diferenças no tipo de execução, nível, intensidade e duração da atividade, alem da presença de fatores de risco relacionados ao corredor, tais como: idade, genero, peso corporal e histórico. Um melhor conhecimento da influência desses fatores sobre o risco das lesões no praticante se faz necessário. Assim os pacientes podem adquirir benefícios relacionados à saúde, sem aumentar o risco de dano articular que acabaria em comprometimento de sua função e qualidade de vida.

A maioria das lesões em corredores ocorre quando o individuo apresenta-se despreparado ou tem uma mudança específica no treinamento, como: volume de treino, intensidade ou alteração do equipamento. Por estes fatos é de extrema importância fazer um acompanhamento com o fisioterapeuta para investigar as alterações musculares e biomecânicas do paciente e prevenir as lesões decorrentes do gesto esportivo, e de forma minuciosa, avaliar toda a cadeia cinéticas e excluir as disfunções. Por exemplo: anteversão femoral, valgo dinâmico do joelho com aumento do ângulo Q, torsão da tíbia externa (rotação externa), valgo do calcanhar e pronação, técnicas de treinamento defeituosas contribuem para lesões.

Alentorn-Geli E, et al. The association of recreational and competitive running with hip and knee osteoarthritis: a systematic review and meta-analysis, 2017.

Magrum & Wilder, Evaluation of the Injured Runner, 2010.