Lesões Musculares

As lesões musculares são comuns no esporte, os músculos isquiotibiais são os mais frequentemente lesados. Na medicina esportiva, a habilidade de diagnosticar, administrar e prognosticar com precisão são expectativas de rotina dos atletas e pacientes.

As lesões musculares são comuns no esporte, os músculos isquiotibiais são os mais frequentementes lesados. Na medicina esportiva, a habilidade de diagnosticar, administrar e prognosticar com precisão são expectativas de rotina dos atletas e pacientes.

 

Lesões Musculares

 

Embora existam sistemas para classificar as lesões musculares, há evidências ou consenso limitados sobre a descrição da lesão muscular específica, ou determinar o prognóstico de qualquer dano, isso continua a ser uma frustração tanto para o clínico quanto para o atleta.

A classificação das lesões musculares refere-se ao processo de descrição ou classificação de uma lesão (pela localização, mecanismo ou patologia subjacente), enquanto um grau de lesão fornece uma indicação de gravidade. Embora exista a perspectiva de atletas e treinadores, a medida mais relevante da gravidade da lesão é o tempo necessário para retornar à participação esportiva completa, a gravidade também pode ser determinada por sinais, sintomas e achados de imagem. Mais recentemente, características clínicas específicas, como a natureza inicial da dor, a proximidade local, o tipo de dor, a amplitude de movimento ativa da articulação e a posição do atleta na atividade esportiva, foram identificados como possíveis preditores da incidência da lesão muscular.

Para proporcionar o mesmo nível de função anterior a lesão, são utilizadas várias modalidades de acordo com o nível e tempo da lesão, por exemplo: cinesioterapia, crioterapia, ultrassom terapêutico, laser de baixa intensidade, exercícios funcionais, alongamento, recursos terapêuticos manuais, mecanoterapia, etc. Caracterizando a fisioterapia como essencial para a reabilitação de tais lesões e otimizando o tempo para retorno ao esporte.

 

Bruce Hamilton, Juan-Manual Alonso, Thomas M. Best, Time for a paradigm shift in the classification of muscle injuries. Journal of Sport and Health Science (2017), doi: 10.1016/j.jshs.2017.04.011

Ramos GA, et al. Rehabilitation of hamstring muscle injuries: a literature review Rev Bras Ortop. 2016. http://dx.doi.org/10.1016/j.rboe.2016.12.002