Mobilização neural

A função do sistema nervoso é conduzir os impulsos; porém, é dependente da parte mecânica e estrutural desse sistema. A relação da função mecânica e fisiológica do sistema nervoso é conhecida pelo termo neurodinâmica.

A função do sistema nervoso é conduzir os impulsos, porém, é dependente da parte mecânica e estrutural desse sistema. A relação da função mecânica e fisiológica do sistema nervoso é conhecida pelo termo neurodinâmica. Ou seja, normalidade neurodinâmica, significa que as propriedades mecânicas e fisiológicas estão normais.

Não cabe ao sistema nervoso somente conduzir impulsos por meio de grandes amplitudes de movimento, mas também adaptar-se mecanicamente a esses movimentos, retraindo-se e alongando-se, podendo até mesmo restringir essas amplitudes em certas combinações de movimentos.

 

Alongamentos

 

 

 

Com a neurodinâmica alterada, ocorre o que se denomina de tensão neural adversa, que consiste em uma resposta mecânica e fisiológica anormal, quando a amplitude normal do sistema nervoso e sua capacidade de alongamento são testadas.

A atividade adequada do sistema nervoso depende de sua integridade, assim o comprometimento da mecânica e da fisiologia do sistema pode resultar em outras disfunções próprias do mesmo, bem como das estruturas musculoesqueléticas que recebem sua inervação.

Os nervos periféricos são comumente traumatizados, resultando em perda ou redução da sensibilidade e da motricidade (movimento) no território inervado pelos mesmos. Entre os diversos nervos periféricos do corpo, o nervo mediano apresenta traumatismos frequentes, resultando em lesões que trazem como consequência a redução da capacidade funcional do indivíduo. Os testes de restrição de mobilidade do sistema nervoso são considerados importantes há muitos anos, incluindo nos procedimentos que são empregados em geral para avaliação de distúrbios musculoesqueléticos.

Os testes neurodinâmicos envolvem aplicação de um conjunto de movimentos passivos destinados a testar a capacidade de adaptação do tecido neural a diferentes posições funcionais. A Mobilização Neural é uma técnica que tem como objetivo restaurar o movimento e a elasticidade do sistema nervoso, o que promove o retorno às suas funções normais e a redução do quadro sintomático do paciente. Embora a mobilização neural não seja amplamente conhecida, aplicar um tratamento mecânico para o tecido neural não é recente. Considerando que a tensão neural adversa é um dos fatores que limita o movimento e função, presume-se que sua normalização por meio da mobilização neural resultaria numa melhor dinâmica neural e, consequentemente, permitiria uma maior amplitude de movimento.

 

1.Butler DS. Mobilização do sistema nervoso. São Paulo: Manole; 2003.

  1. Cerqueira MP, Reis AMO. Mobilização neural no tratamento da síndrome do túnel do carpo. Ter Man. 2003; 2(2):82-5.
  2. Stokes M. Neurologia pra fisioterapeutas. São Paulo: Premier; 2000.
  3. Marizenck S. Mobilização neural: aspectos gerais. [acesso 7 jul. 2010]. Disponível em: http://www. terapiamanual.com.br/site/noticias/arquivos/2009 12101725220.artigo_7.pdf.
  4. Machado A. Neuroanatomia funcional. São Paulo: Atheneu; 2002.
  5. Kisner C, Colby AL. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. São Paulo: Manole; 2005.
  6. Davies PM. Hemiplegia: tratamento para pacientes após AVC e outras lesões cerebrais. Barueri: Manole; 2008.
  7. Salgado ASI. Escola de terapia manual e postural: neuromeningea, craniomandibular e otorrinolaringologia. Londrina: Leal; 2004.
  8. Oliveira HFO Junior, Teixeira AH. Mobilização do sistema nervoso: avaliação e tratamento. Fisioter Mov. 2007;20(3):41-53.
  9. Kostopoulos D. Treatment of carpal tunnel syndrome: a review of the non-surgical approaches with emphasis in neural mobilization. Journal of Bodywork and Movement Therapies. 2004;8:2-8.